NOTÍCIAS

Informações atualizadas todos os dias

“Projeto Evolução”: associativismo para desenvolver marca regional

 

MB Comunicação

Fortalecer o setor, qualificando todos os envolvidos, reforçando os elos da cadeia e focando no diferencial dos produtos. Esse é o objetivo do “Projeto Evolução” da Associação de Agroindústrias Alimentícias de Santa Catarina (ASAASC) proprietária da marca Saborense, que foi lançado na última semana no Clube Industrial, em Chapecó. A execução do projeto conta com apoio do Sistema “S” (Faesc/Senar, Sesi, Sebrae, Senai, Senac, Sesc) e da Unochapecó.  

Ao todo serão desenvolvidas sete macro ações, que se desdobram em atividades práticas e operacionais, são elas: desenvolvimento de mercado; promoção da qualidade e da produtividade; qualificação técnica; origem de rastreabilidade e segurança, com fornecimento da matéria-prima; formato jurídico da empresa; modelagem de negócio e desenvolvimento de novos produtos.

“Esta é a segunda etapa deste projeto audacioso de aprimoramento de um produto único regional, que leva em sua essência a cultura e a vocação do saber fazer catarinense. Estamos orgulhosos de vislumbrar esse sonho, que iniciou de um
Sebraetec, crescer e se desenvolver a partir da união das empresas e das entidades promotoras do desenvolvimento no Estado”, enalteceu a analista técnica do Sebrae/SC Carolini Demeterko.

O presidente do Instituto Nacional da Carne Suína (INCS) e da ASAASC, Wolmir de Souza, resgatou a trajetória da associação que iniciou no Sebrae/SC ao estruturar uma central de compras. “Superamos o valor de R$ 1 milhão em compras, porém a economia é um mero atrativo uma vez que a ênfase está no espírito coletivo e no associativismo. Desde o início almejávamos esse crescimento porque não buscamos apenas ganhos, mas sim parcerias para fomentar esse setor”, analisou.

Para o diretor de educação Sesi e Senai, Claudemir José Bonatto, o lançamento do projeto representa um momento histórico e também a construção de um legado para as gerações futuras. “O Sistema S está empenhado e tem como responsabilidade induzir o desenvolvimento, principalmente desse mercado altamente competitivo que é a produção de alimentos. Pesquisas apontam que em 2050 serão mais de 9 bilhões de habitantes na Terra, o que reforça a necessidade de indústrias alimentícias para atender essa demanda. O início desse trabalho é marcado pela coragem das famílias e pela cooperação das entidades e resultará na perpetuação dos negócios”, argumentou.

A diretora do Senac Chapecó, Silvana Marcon, enalteceu a forma inédita de trabalho do Sistema S com apoio da Unochapecó. “Essa disruptura faz a diferença no dia a dia, pois o trabalho coletivo é muito mais produtivo, por isso tenho certeza que seremos exitosos nesse processo de aprendizagem”, comentou. O Senac foi responsável pela elaboração do estudo de mercado para a produção de alimentos de origem animal elaborados de maneira artesanal e a Unochapecó pela elaboração do manual de boas práticas na produção de alimentos.

De acordo com o vice-presidente regional da Faesc, Ricardo Lunardi, que representou o Senar/SC no evento, apenas pela cooperação e pelo associativismo é possível atingir os objetivos mútuos. “Santa Catarine é referência mundial na produção de alimentos e não podemos perder tempo de utilizar esse reconhecimento ao nosso favor, isso valoriza ainda mais essa marca regional, que está carregada de história”, afirmou.

PROGRAMA INTEGRAÇÃO SISTEMA S

O “Projeto Evolução Saborence” foi selecionado pelo Programa Integração Sistema S, juntamente com o “Projeto Florescer SC” e o “Maricultura”. Esse programa visa reunir as entidades para executar de maneira ética, integrada e colaborativa ações que gerem resultados no desenvolvimento econômico, sustentável e de excelência na região de atuação.

O programa tem como premissas: trabalho em equipe, liderança compartilhada e colaborativa, projetos em co-criação, resultados assertivos, projetos sustentáveis, fomentos de parcerias, foco no mercado, desenvolvimento econômico e convergência de valores e propósitos.

“As entidades foram desafiadas a desenvolver uma metodologia para um projeto orgânico, que está em constante mudança, para atender as necessidades do mercado e para promover o desenvolvimento econômico regional. Neste sentido, o programa tem como problemática atual a dificuldade em estimular o crescimento da cadeia produtiva até o consumidor final, em função do elevado custo de produção, da dificuldade de inclusão no mercado, da falta de gerenciamento e da inspeção governamental”, explicou o gerente de ensino superior e educação corporativa de Sesi e Senai, Michael Siemeintcoski.

EMPRESAS ASSOCIADAS

Atualmente, os frigoríficos associados são: Frigorífico Mattei, Frizape, Frigolaste, Letavo, Bisol, Primevo, Frigorífico Arabutã, Friprando Alimentos, Difricon, Frigorífico Helbing, Pescado Pinhal, Varpi Frigorífico, Coopersucesso, Linguiça Colonial Ouro, Berno Embutidos, Embutidos Lamb, Fribaz, Abatedouro e Comércio de Carnes Rossi, São Pedro, Albaneze Embutidos, Frigorífico Turmena, Morgana Frangos, Tomelin, Bosse, Tenfen, Frigvan, Ana Rosa, Salame Colonial Bide, Lussisa Alimentos, Laticínio Vitória, Jaraguá Embutidos e Defumados e Weber.??